Pesquisar este blog

Meu twitter:

twitter.com/malvinaee

Seguidores

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012


Visual marcante de Amy Winehouse e Liz Taylor promete fazer ainda muito sucesso

Em 2011, o mundo perdeu duas mulheres que foram ícones de estilo

Visual marcante de Amy Winehouse e Liz Taylor promete fazer ainda muito sucesso Divulgação/
Looks de Amy e Liz são muito copiadosFoto: Divulgação
A marca maior do seu estilo é o delineador exagerado. Depois, tatuagens pelo corpo inteiro, o cabelo preso num meio-rabo supervolumoso, um piercing sobre os lábios, brincos de argolas imensas pendurados nas orelhas. Provavelmente a essa altura os fãs já identificaram a personagem em questão, tamanha a força do seu visual — quase tanto quanto sua música. Em 2011, o mundo perdeu duas divas importantes não só pelo talento no cinema e na música, mas pela contribuição que deixaram à moda: primeiroElizabeth Taylor, em março, e depois Amy Winehouse, em julho.
Muitas décadas e referências compunham o visual forte, quase caricato e exaustivamente copiado da cantora britânica. As roupas — jeans skinny, vestidos e saias com cintura bem marcada, decotes generosos e peças com cara de saídas de um brechó — tinham um quê de anos 1940 e 1950, com inspiração principalmente nas pin-ups, que ganharam fama por esses tempos.
Na maquiagem, a referência cinquentinha também tinha lugar: no delineador gatinho, que começava no canto interno dos olhos e terminava na ponta oposta da sobrancelha. Já o cabelo, alto e armado, geralmente arrematado com presilhas, laços ou flores, parecia feito pelo mesmo cabeleireiro das Ronettes, grupo musical de Nova York formado por mulheres com penteados nada discretos e que fizeram sucesso pelos anos 1960. Para os lábios, o escolhido geralmente era o vermelho.
Mas se Amy foi o rosto dos últimos anos, Elizabeth Taylor atravessou décadas. Nos anos 1950, desfilava vestidos com cintura marcada e cabelos pretos, numa época em que as divas do cinema eram, em sua maioria, platinadas. Na década seguinte, aderiu à minissaia. Pelos idos de 1970, adotou o visual hippie e, nos 1980, era vista por aí com boás coloridos. Mas foi o visual da época em que estrelou Cleópatra, em 1964, que fez dela um eterno ícone de beleza. Fora do set, usava os olhos marcados e as sobrancelhas escuras, definidas.
Vez ou outra, o batom vermelho incrementava a produção. Mas sua maior contribuição para a moda foi, provavelmente, diante das câmeras. A maquiagem geométrica usada por Cleópatra no longa foi a grande responsável por popularizar o delineador, que muitos anos mais tarde viraria queridinho de Amy Winehouse.
Amy e Liz se foram, mas seu legado continua inspirando looks em tapetes vermelhos e entre meninas comuns. Basta digitar qualquer um dos dois nomes em um site de pesquisa para pipocarem tutoriais de maquiagem inspirados nas divas. Atualmente, quem segue levando a onda dos anos 1940 e 1950 na maquiagem adiante é a dançarina burlesca Dita Von Teese e a cantora teen Taylor Swift, adeptas do bocão vermelho e do delineador puxadinho. O clássico virou queridinho.
Copie o lookHá esperanças para quem ainda não conseguiu dominar a manha do delineador reto e puxadinho. Segundo o maquiador Max Araújo, o truque é seguir a linha natural do canto externo dos olhos quando eles estão fechados e desenhar o traço em direção à ponta da sobrancelha. Se borrar, nada de pânico ou de tirar toda a maquiagem e começar de novo: é só molhar um cotonete com um pouco de base ou de demaquilante e corrigir o borrão.
CORREIO BRAZILIENSE

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Ocorreu um erro neste gadget

    Arquivo do blog

    ALGUMAS CITAÇOES:

    As mulheres precisam ser amadas, não compreendidas.

    Com certeza, se casem. Se casar com uma boa mulher, será um homem feliz. Se casar com uma má, se convertirá em filósofo. (Socrates)

    Não sou um santo. A menos que para você um santo seja um pecador que simplesmente segue se esforçando. (Nelson Mandela)

    Nunca penso no futuro - ele já chegará. (Albert Einstein)

    Os melhores amigos ouvem o que você não diz.

    Nossos amigos são os irmãos que nunca tivemos.

    clicRBS

    Ocorreu um erro neste gadget